Imprimir Fechar
você está em    Notícias  

Prefeitura inicia o diagnóstico estrutural da pavimentação asfáltica na área central de Santa Maria

17/08
Diagnóstico/Ana Bittencourt (Mtb 14.265)
A Prefeitura começou, nesta quinta-feira (17), a coleta de informações sobre a capacidade estrutural das vias do perímetro urbano. O ensaio de campo iniciou na Avenida Borges de Medeiros, a partir da Avenida Presidente Vargas. Durante a tarde, a Avenida Liberdade foi o local escolhido para receber a ação. Nesta sexta-feira (18), a equipe de trabalho vai estar na Avenida Walter Jobim, a partir do cruzamento com a Avenida Maurício Sirotski Sobrinho.

O trabalho busca avaliar a capacidade estrutural ruas e avenidas para mensurar as deformações verticais causadas na pavimentação asfáltica, ocasionadas pelo fluxo de veículos e pela ação do clima.

De acordo com o engenheiro do Iplan, Paulo Rosa, o ensaio de campo utiliza um equipamento chamado “Viga Benkelman” e um caminhão carregado com oito toneladas. O instrumento é capaz de medir a alteração que o peso causa na via, considerando ainda informações como temperatura e umidade do ar. A cada 100 metros de pista, a Viga Benkelman faz a medição do impacto na camada asfáltica, depois o veículo se desloca 25 centímetros adiante, onde é feita nova medição. Os dados são anotados em uma planilha e depois serão calculados para determinação os impactos.

De acordo com o coordenador executivo do Gabinete de Governança da Prefeitura, Carlos Pippi Brisola, nos últimos 20 anos a cidade não teve a elaboração e a execução de um plano de intervenção qualificada do sistema viário. E por isso, o Município está há muito tempo sem um diagnóstico técnico e sem um planejamento eficiente.

“O que os governos municipais apresentaram nas últimas duas décadas foram medidas pontuais e paliativas, limitadas a intervenções setoriais desconectadas do universo dos problemas viários. A falta de uma visão técnica e sistêmica na recuperação da malha viária urbana e rural do Município levaram Santa Maria à situação em que nos encontramos hoje em relação a nossa malha viária”, afirmou Brisola.

 

O QUE SE ESPERA COM O DIAGNÓSTICO
O mapeamento das deformações sofridas pela pavimentação asfáltica vai resultar em um diagnóstico preciso da malha viária do Município. A partir disso, a Prefeitura poderá desenvolver um Sistema de Gerência de Pavimentos, capaz de apontar, a curto, médio e longo prazo, as ações a serem executadas na recuperação das ruas e avenidas.

“Com base em um diagnóstico técnico qualificado, a Prefeitura terá condições de viabilizar um planejamento correto das intervenções a serem realizadas, mensurando o orçamento necessário para isso, dentro da capacidade financeira do Município”, explica Carlos Pippi Brisola.

 

AGENTES DE TRÂNSITO ACOMPANHAM A AÇÃO
O roteiro do ensaio com a Viga Benkelman deve seguir nos próximos dias, passando ainda por oito avenidas e duas ruas que apresentam grande fluxo de veículos (veja roteiro abaixo).

O trabalho não deve interromper as vias, no entanto, em alguns locais é possível que o trânsito fique em meia pista. Para orientar os motoristas, o ensaio de campo está sendo realizado com o auxílio de agentes da Coordenadoria de Trânsito e Mobilidade Urbana (CTMU).

 

VIAS ONDE SERÁ EXECUTADO O MAPEAMENTO
Avenida Borges de Medeiros
Avenida Liberdade
Avenida Ângelo Bolson
Avenida Hélvio Basso
Rua Euclides da Cunha
Avenida Walter Jobim
Avenida Presidente Vargas
Avenida Medianeira
Avenida das Dores
Avenida João Luiz Pozzobon
Rua Duque de Caxias

 

Fotos: Deise Fachin
Dynamika