Imprimir Fechar
você está em    Notícias  

Contribuição para Santa Maria:trabalho final de graduação auxiliará na atualização da planta cadastral do município

08/07
Fonte: Assessoria de Comunicação / Natalia Apoitia

Mapear o processo de tramitação das informações e documentos necessários para manter atualizada a planta imobiliária cadastral de Santa Maria. Este foi o tema do Trabalho de Conclusão de Curso da servidora municipal Jéssica de Senne. Cedida ao Instituto de Planejamento (IPLAN), a, até então, acadêmica de Administração da UFSM elaborou uma diretriz que possibilita organização e simplificação no trabalho do IPLAN quanto à atualização da planta imobiliária cadastral. O mapeamento será aplicado com base no Sistema de Informações Geográficas (SIG), software adquirido pelo município e, posteriormente, abastecido com as informações oriundas do recadastramento urbano.

Duas situações: um problema de pesquisa e uma demanda de Santa Maria. Um local em comum: o IPLAN. O desafio: auxiliar na promoção da justiça fiscal na cobrança do IPTU. O contexto apresentado resultou na elaboração de um mapeamento que especifica os processos necessários manter atualizada a planta imobiliária da cidade. Jéssica, aceitou o desafio proposto pelo presidente da autarquia, Francisco Severo, defendeu seu relatório com êxito e verá a aplicabilidade de seu trabalho.

A ideia surgiu pela necessidade de formalizar as atribuições e responsabilidades dos órgãos envolvidos no processo e todos os trâmites necessários para que o SIG se mantenha em funcionamento e a planta imobiliária em constante atualização. O software é hospedado no IPLAN, fator decisivo para a sugestão de Severo. “O desafio foi lançado, uma vez que o município tem essa demanda e a Jéssica além de servidora possuía todas as ferramentas para elaborar o projeto”, afirma.

Hoje, os registros da planta cadastral imobiliária do município estão em plantas de quadra de papel. O SIG configura uma base de dados digital georreferenciada. O mapeamento elaborado por De Senne, com auxílio das pastas envolvidas, norteia a continuidade do trabalho com subsídio na agilidade, na evolução digital, além de evitar defasagens nos registros.

Durante o processo de pesquisa, a acadêmica participou de treinamento para compreender o software, esteve reunida com a Secretaria de Município de Desenvolvimento Urbano (SMDU) e com o próprio IPLAN para definir quais as informações e documentos deveriam ser encaminhados ao Instituto para inserção no sistema.  Após a fase de compreensão e pesquisa, ela focou na elaboração do fluxograma do mapeamento e na formalização desse instrumento: a redação da diretriz que guiará os servidores designados a alimentar e atualizar o SIG, efetivamente.

Jéssica está na autarquia desde 2010. Foi estagiária, depois assumiu cargo em comissão e no ano passado foi chamada para assumir o cargo de agente administrativa, no qual foi aprovada quando fez concurso municipal. Para ela o estudo foi um desafio, pois envolveu uma área diferente da que ela atua. “É satisfatório por ser necessário ao IPLAN e à cidade. Ao ser aplicado vai incrementar o nível de qualidade dos serviços e do atendimento prestados pelo servidor público aos cidadãos”, conclui Jéssica.

 

  • Jéssica (ao centro) com a banca e o presidente do IPLAN (esquerda) após apresentação.

    Jéssica (ao centro) com a banca e o presidente do IPLAN (esquerda) após apresentação.

  • Severo e a gerente administrativa da autarquia, Lucia Murakami, prestigiaram a colega.

    Severo e a gerente administrativa da autarquia, Lucia Murakami, prestigiaram a colega.

Dynamika